quarta-feira, 21 de agosto de 2013

A Mosca Morta.



A moça dobrou a esquina com vontade de acasos, surpresas, ar livre, vida. Com vontade. Mas sua casa era de esquina e a esquina era seu caminho de sempre e sempre voltava para casa com vontade e sua vontade morria em casa como os dias na janela de vidro do seu quarto trancado. A moça se sentia sem ar. A moça parecia morta. A mosca morta. 



semhorasesemflores@blogspot.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário